FacebookTwitterGoogle+WhatsAppCompartilhar

Logomarca

A primeira logomarca (símbolo) da Oliveira Campanini Advogados Associados, que representou a banca do dia 20/02/2008 (data de sua fundação) até o ano de 2014, possuía como ponto característico o desenho estilizado do Elmo (capacete) do guerreiro Espartano, como simbologia e homenagem aos combatentes militares daquela importante e conhecida civilização Grega, que possuíam como ideal os valores da austeridade, do espírito cívico – militar e da igualdade social.

A segunda e atual logomarca, simbolizando uma nova etapa de trabalho da banca nas batalhas travadas em defesa de seus clientes, continuou homenageando o guerreiro de Esparta, acrescentando agora, além do Elmo (capacete), seu Escudo caracterizado pela letra grega λ (Lambda).

As cores preta e cinza foram substituídas pela dourada (bronze utilizado em Esparta nas armas dos guerreiros) e vermelha, característica da capa do combatente.

Nossos Pilares

Os três pilares utilizados em nosso símbolo representam nossos principais valores, que se apoiam em nossas condutas diárias, valores estes elencados nas condutas Alpha a seguir:

  • Atenção aos nossos clientes: o tratamento diferenciado faz de nosso escritório uma referência dentre aqueles que defendem agentes públicos ativos e inativos.
  • Autenticidade: nosso trabalho sempre se sustentará na verdade e honestidade para com nossos clientes.
  • Amor ao que faz: o advogado, apesar de ser um profissional da área privada, exerce múnus público; assim, nossa missão é bem servir a sociedade como um todo, independentemente de credo, raça ou classe social.

Ética

Código de Conduta da OCAA

A Oliveira Campanini Advogados Associados, buscando a certificação ISO 9001:2000 (Gestão pela Qualidade), criou no ano de 2008 o seu Código de Conduta, que neste campo será colocado na íntegra, visando a total transparência das ações desenvolvidas pela sociedade de advogados.

Objetivos do Código:

A) Mostrar como as ações responsáveis são fatores de qualidade de vida para todos aqueles que de alguma forma exercem relação com a empresa, ou seja, seus integrantes, clientes, fornecedores, parceiros comerciais, concorrentes, prestadores de serviços e agentes governamentais.
B) Exceder as expectativas dos clientes e atrair novos parceiros comerciais.
C) Agregar valor aos bens – interesses de valores inestimáveis da OCAA, tais como sua reputação, sua imagem e sua marca, além de seu capital intelectual representado pela dedicação de seus integrantes, sua capacidade criativa e inovadora e seus relacionamentos externos.

CÓDIGO DE CONDUTA DA OLIVEIRA CAMPANINI ADVOGADOS ASSOCIADOS

1. O respeito às Leis

O profissional da área jurídica deve se orgulhar de conhecer de perto todas as normas que regulam a convivência sadia e responsável de todos a sua volta, assim, temos como compromisso:

A) Evitar qualquer tipo de atividade que possa representar prejuízo a outras empresas, ou que corresponda a práticas de concorrência desleal.

B) Zelar para que todas as nossas transações sejam corretamente registradas nos livros contábeis, por meio de um eficaz controle interno.

C) Desencorajar o oferecimento direto ou por intermediários, de quaisquer favores ou presentes destinados a quem quer que seja, ainda que eles visem a realizar negócios, influenciar decisões ou obter vantagens.

2. A relação com o público externo

Da mesma forma que as condutas das autoridades e dos funcionários públicos são regidas pelo princípio da estrita legalidade, ou seja: “a administração só pode fazer aquilo que previsto em lei”, nossos contatos com eles merecem seguir a mesma orientação.

É uma questão de responsabilidade cidadã evitar situações dúbias para todas as partes e afastar o risco de gerar falsas impressões.

É consabido que a corrupção provoca efeitos devastadores sobre qualquer instituição. Em consequência, a OCAA nunca oferecerá vantagens de espécie alguma a agentes governamentais, seja para facilitar ou influenciar decisões, seja para que cumpram suas obrigações de forma rápida.

3. A relação com a imprensa

Nosso relacionamento com a mídia baseia-se na confiança e no respeito, uma vez que a divulgação pública das informações confere visibilidade e transparência ao nosso trabalho.

A exposição dos feitos robustece não somente a marca, mas promove igualmente a imagem institucional da sociedade.

E é dessa forma que quaisquer informações públicas que envolvam o nome da OCAA, somente assim serão quando avaliadas e autorizadas pela equipe de Assessoria de Imprensa, seja por intermédio de artigos, palestras, entrevistas ou discursos.

A OCAA, por intermédio de seu Departamento de Relacionamento, criou o projeto: “Críticas e Sugestões”, onde todos que mantém qualquer tipo de vínculo com a sociedade possam expressar suas opiniões de forma segura e eficaz.

4. Nosso maior patrimônio: –os nossos clientes

Em um mercado competitivo, é imperioso encantar os clientes ao superar suas expectativas. Isso passa pelo respeito a seus direitos e, ao mesmo tempo, pela busca de soluções que satisfaçam suas necessidades, em sintonia com os pressupostos de qualidade, segurança, eficiência e cortesia.

Por isso é que a autenticidade é um de nossos pilares, onde nos empenhamos para que todas as nossas informações sejam repassadas de forma precisa, concisa e transparente.

Diante de solicitações de esclarecimentos, os clientes fazem jus a respostas adequadas e fornecidas em prazo razoável. E mesmo quando não for possível atender a uma demanda deles, é vital oferecer explicações pertinentes e verdadeiras. Este é o modo competente de ocupar um espaço nobre em suas mentes.

5. A relação com os concorrentes

A concorrência leal é um dos pilares do sistema de mercado que, para agregar valor, se assenta na lógica do risco, na livre iniciativa, na dedicação e no mérito.

Desta feita, para os integrantes da OCAA são inadmissíveis:

A) A difusão de comentários ou boatos que desabonem a imagem dos concorrentes.

B) A captação ilegal de cliente já patrocinado por outro profissional ou sociedade, oferecendo serviços com menor custo ou melhores condições de pagamento.

6. Os relacionamentos internos

Para o sucesso de toda instituição, o ambiente de trabalho precisa ser estimulante e produtivo, tendo como parâmetro básico a dignidade humana.

Assim, na OCAA são inadmissíveis:

– A discriminação de pessoas em função de raça, cor, sexo, religião, visão política, origem, classe social, idade, incapacidade física ou mental, estado civil, nível intelectual ou características físicas.

Indubitável que a base do crescimento de toda empresa certamente está em seu material humano. Por isso é que a OCAA busca ferrenhamente o desenvolvimento pessoal e profissional de todos os seus integrantes, oferecendo:

A) Igualdade de acesso às oportunidades de desenvolvimento profissional, segundo critérios objetivos baseados em aptidões, competências e contribuições de cada integrante da equipe.

B) Cordialidade no trato pessoal, independentemente da posição ocupada.

C) Respeito às atribuições funcionais dos integrantes, não passando por cima delas sem autorização expressa ou razão imperativa.

D) Reconhecimento do trabalho bem executado, das atitudes proativas, das posturas idôneas e responsáveis, dando valor a quem as tem e prestigiando quem faz certo a coisa certa.

Em síntese, com a elaboração deste Código de Conduta, demos agora um novo e importantíssimo passo rumo à Gestão pela Qualidade, uma vez que ele serve como uma “bússola”, a guiar todas as nossas atitudes, em benefício claro de nosso maior patrimônio: “os nossos clientes”.

Publicado em dia 29 de agosto de 2008.

Um pouco da história dos guerreiros espartanos

Dos sete aos vinte anos, o jovem espartano era submetido a treinamento militar intensivo por conta do Estado.

Dos vinte aos sessenta, o cidadão permanecia ligado ao serviço militar, devendo tomar com os companheiros a refeição da noite.

Aos vinte anos já podia casar-se, mas só aos trinta era desobrigado de dormir no acampamento.

As moças recebiam treinamento análogo e privilegiavam o dever patriótico em relação ao amor à família.

Em meados do século VI a.C., Esparta tornou-se uma das principais potências da Grécia. Desprezando os avanços culturais, filosóficos e artísticos de Atenas, concentrou sua força na atividade militar.

A educação dos jovens era sempre voltada para os interesses do Estado e sobretudo para as guerras. Ao chegar à idade adulta, os homens se convertiam nas “Muralhas de Esparta”, já que a cidade carecia de fortificações.

A mulher espartana desfrutou de mais liberdade em comparação com outras gregas. Sua função principal era dar ao Estado filhos fortes e sadios.

A Força Militar de Esparta foi decisiva na luta que uniu todos os gregos para repelir a invasão Persa entre 481 e 480 a.C. e derrotar completamente os agressores, um ano depois.

Coube aos espartanos, liderados por Leônidas, protagonizar a heroica defesa do estreito das Termópilas.

Agora que já conhece os nossos Pilares, nosso Código de Conduta e um pouco da história dos aguerridos guerreiros de Esparta, venha nos conhecer!

Ficaremos honrados com sua presença!